Pode entrar, não repare a bagunça.

Há décadas as revistas de arquitetura e decoração entram em casas para mostrar a obra de arquitetos, o bom gosto dos decoradores e o como vivem as pessoas de acordo com sua própria linha editorial.

Em tempos de internet surgiram inúmeros novos buracos de fechadura, que nos deixam espiar outras maneiras de viver. E um lugar que gostamos muito de “dar uma espiada” (obrigada, Pedro Bial, por fazer perder a graça nessa gracinha) é o blog não repare a bagunça da fotógrafa Mariana Alves.

Para entender um pouco mais sobre o projeto dela, conversamos com ela por e-mail, que só me fez me encantar ainda mais pelo seu trabalho. Olha só (mas não repara a bagunça):

Por que você criou o “não repare a bagunça”?

O projeto começou diante da minha curiosidade de conhecer um pouco de que forma as pessoas vivem e de que maneira isso se reflete na sua casa, de como as pessoas colocam a sua personalidade no lugar em que moram ou trabalham.

não repare a bagunça

O que mudou da primeira casa que você fotografou pra hoje?
Eu acho que eu absorvi um pouco de cada lugar e de cada pessoa que eu conheci. Acho uma experiência muito incrível você visitar esse lugar tão íntimo e rico. Não sei te dizer claramente o que mudou, mas cada experiência de conhecer espaços novos é enriquecedora.

não repare a bagunça8

Ao entrar na casa das pessoas, o que seus olhos buscam?
Eu não crio muitas expectativas quando vou nas casas e locais de trabalho das pessoas. Muitas pessoas me indicam os lugares, e às vezes não sei como eles são. Eu busco objetos, cores, detalhes que contem mais sobre a personalidade e a história dessa pessoa.

Se você tivesse autorização de entrar em qualquer casa no mundo, qual seria a casa que você gostaria de fotografar?

Gente, que difícil! Se eu pudesse escolher essa casa há anos atrás, quando ela era viva, e ainda não era aberta pra visitação, eu escolheria a casa da Frida Kahlo. Maaaaaaaas, se fosse hoje, seriam tantas pessoas! Queria fotografar alguém com coleção de alguma coisa bacana, que fosse diferente.

não repare a bagunça10

Quais os aprendizados que esse projeto te trouxe até agora?
Aprendi que cada ambiente que moramos e vivemos diz muito sobre nossa personalidade, humor e revela nossa forma de encarar a vida. Nós moldamos o nosso lar, mas ele também nos molda, de certa forma.

não repare a bagunça (3)

Onde você gostaria de chegar com o “não repare a bagunça”?
Eu gostaria de passar em muitos lugares e cidades, e conhecer pessoas interessantes. Esse é o meu maior objetivo.

não repare a bagunça5

Todas as fotos do post são do projeto não repare a bagunça. Gostou? Então, vai lá!

Quem? Mariana Alves
Onde? www.naorepareabagunca.com.br
Como praticipar? escreve pra Mariana maririalves@hotmail.com

não repare a bagunça3

Ohhh lindeza, um piano na sala da casa do Bruno 🙂

não repare a bagunça

Quarto super mimimi ❤

não repare a bagunça

Plantas e desenhos são amor.

não repare a bagunça7

Isso aqui ohoh… É um pouquinho de Brasil iáiá. Eita coleção maravilhosa.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s